Menu Principal
English
©1998-2013 Maria Helena Rowell



Sigmund e a filha Anna Freud

Anna e seu pai Sigmund Freud
 
 

Anna Freud, a filha caçula do casal Sigmund e Martha Freud, nasceu no dia 3 de dezembro de 1895, em Viena.

Anna iniciou sua vida profissional como professora primária e lecionou durante toda a Primeira Guerra Mundial (1914-1920). Posteriormente, foi pioneira no desenvolvimento da psicanálise de crianças (1923). Seu trabalho teórico abarcou o exame das funções que o ego desempenha no sentido de tornar tolerável a intensidade da ansiedade despertada por idéias e sentimentos penosos, diante das demandas pulsionais.

Seu primeiro livro foi O Tratamento Psicanalítico de Crianças (1927). Outros se fizeram seguir: O Ego e os Mecanismos de Defesa (1936), Infância Normal e Patológica (1965), The Writings of Anna Freud (coletânea/8 volumes/1968-1983).

Em março de 1938, a família Freud, auxiliada por Ernest Jones e a Princesa Marie Bonaparte, fugiu da Áustria (dominada pelos Nazistas), refugiando-se em Londres.

Sigmund Freud vinha sofrendo de cancer desde 1923 e Anna, sua devotada filha, cuidou dele até seus momentos finais (23 de setembro de 1939).

Após a deflagração da guerra e a morte de seu pai, Anna abriu uma clínica, The Hampstead War Nursery, aonde eram cuidadas mais de 80 crianças, cujo sofrimento emocional era decorrente da privação de assistência familiar.

As conflitantes diferenças teórico-técnicas suscitadas pelas obras de Melanie Klein e Anna Freud levaram a sociedade inglesa, The British Psychoanalytical Society, a criar dois grupos paralelos, com o intuito de evitar maiores rupturas no seio da instituição.

Anna Freud criou um curso de formação de analistas de crianças (1947) e fundou uma clínica(1952), The Hampstead Child Therapy Clinic. Lá ocupou o cargo de diretoria de 1952 à 1982. Em sua homenagem, a clínica passou a se chamar The Anna Freud Center, após sua morte. Sua residência, em 20 Maresfield Gardens foi, de acordo com seu desejo, transformada no The Freud Museum, em 1986.

Anna Freud - fotos

Mais informações aqui

 
Citação de Anna Freud
 
A um jovem analista que lhe enviou em 1979 um artigo prevendo a morte da psicanálise, ela respondeu com estas palavras:

"Predizer a morte da psicanálise talvez esteja na moda. A única resposta inteligente é a que Mark Twain deu, quando um jornal anunciou, por erro, a notícia de sua morte: 'As notícias sobre minha morte são muito exageradas'. De qualquer forma, o Sr. diz que os antigos ficaram indiferentes, o que é normal, pois sempre foram acostumados aos ataques. Sob muitos aspectos, é quando atacada que a psicanálise caminha melhor."

Citação retirada de Roudinesco, Elizabeth e Plon, Michel - Dicionário de Psicanálise, Jorge Zahar Editor Ltda., RJ, 1998, p.260
 
Obras Selecionadas de Anna Freud
 

FREUD, Anna - O Tratamento Psicanalítico de Crianças, Imago Editora Ltda, RJ, 1971
compre este livro

FREUD, Anna - O Ego e os Mecanismos de Defesa, Ed. Ed.ArtMed (2006)
compre este livro

FREUD, Anna - Infância Normal e Patológica, Ed. Guanabara Koogan, 1987
compre este livro

FREUD, Anna - Freud e a Cocaina, Ed. Espaço e Tempo, 1989
compre este livro

 
Bibliografia sobre Anna Freud
 

YOUNG-BRUEHL, Elizabeth - Anna Freud - Uma Biografia, Imago Editora Ltda., RJ, 1992  compre este livro



Home Biografia Bibliografia Obras Psicanálise Museus Citações Perguntas Fotos Vídeos
Glossário Legado Familia Entrevista Links Livrarias E-Mail Livro Visitas Mapa Site eu, psi


gráficos de
Lia Rowell